sexta-feira, 21 de setembro de 2012

CONTEÚDO PARA AVALIAÇÃO DE CIÊNCIAS 8° SÉRIE/9°ANO - APARELHO LOCOMOTOR


CONTEÚDO PARA AVALIAÇÃO DE CIÊNCIAS 8° SÉRIE/9°ANO

APARELHO LOCOMOTOR – ESQUELETO HUMANO

O corpo humano se divide-se em: cabeça, pescoço, tronco e membros.

1.                A CABEÇA encontra-se dividida em duas partes: crânio (caixa óssea que protege o encéfalo) e face (que aloja a maior parte dos órgãos do sentido e também estruturas responsáveis pela mastigação).
2.                O PESCOÇO, por sua vez, permite a união da cabeça com o tronco através de ligamentos e músculos e por uma parte da coluna vertebral onde encontra –se  as vertebras cervicais.
3.                O TRONCO possui uma estrutura óssea formada pela coluna vertebral (vertebras torácicas, lombares e sacrais e o cóccix), costelas e suas cartilagens, esterno, clavículas e escapula(que unem os membros superiores a uma parte do tronco chamada de  tórax) e o osso do quadril ( que permite a união dos membros inferiores ao tronco).
Aparelho locomotor
É um conjunto de órgãos cuja a principal função é permitir ao corpo humano a realização de movimentos, fixação de músculos, sustentação do corpo e proteção dos órgãos internos.
Os elementos que constituem o aparelho locomotor são: os ossos, as articulações e os músculos.
·        OSSOS
São estruturas rígida do aparelho locomotor, em conjunto, constituem o sistema ósseo ou esqueleto, no corpo humano existem 208 ossos no adulto.
·        MUSCULOS
Formam a parte ativa do aparelho locomotor, estão unidos aos ossos por meio das inserções musculares, possuem atividade própria, a contração muscular, que tem origem na resposta aos estímulos nervoso, existem mais de 400 músculos de tamnho e potencia muito variadas, um numero tão elevado de músculos permite a realização de grande quantidade de movimentos, alguns de grande precisão, como os que são realizados pela mão.
·        ARTICULAÇÕES
São os elementos mais complexos do aparelho locomotor, são estruturas parcialmente moles e parcialmente rígidas que possibilitam a união entre si, de dois ou mais ossos, graças a existência das articulações é possível realizar movimento dos ossos sem desgastes, devido ao roçar excessivo entre eles, as articulações possuem componentes vários, ligamentos, capsula articular, cartilagem e meniscos. Contudo existem, articulações de diversos tipos, algumas são muito complexas, com grande variedade de movimentos como os do ombro ou da mão e outras são rígidas, sem nenhum movimento, como as que unem entre si os ossos do crânio.
SISTEMA ÓSSEO
O ESQUELETO é constituído pelo conjunto dos ossos, que são órgãos esbranquiçados duros e resistentes. Estão situados entre partes moles, as quais servem de apoio, e em alguns casos apresentam cavidades que alojam a protegem as vísceras.
O esqueleto humano é composto, sobretudo pela coluna vertebral, situada verticalmente na linha média que sustenta o crânio na sua extremidade superior. A sua extremidade inferior forma o sacro e o cóccix, que representa o rudimento da cauda dos animais. Da parte média da coluna vertebral partem lateralmente as costelas, que se articulam a frente com o esterno. O espaço delimitado por ambos é o tórax, que aloja vísceras tão importantes como o coração e os pulmões, por ultimo, na parte superior do tórax e na parte inferior da coluna se encontram implantados, respectivamente e de forma simétrica, os dois pares de membros, os superiores ou torácicos e os inferiores ou pélvicos.
CRESCIMENTO DO OSSO
No momento do nascimento, os ossos não estão totalmente calcificados, durante a infância e a adolescência ocorre o crescimento do corpo, condicionado fundamentalmente pelo crescimento dos ossos. Nas extremidades dos osso longos existe uma zona, a cartilagem de crescimento, a partir das qual vai se formando novo tecido ósseo que determina o crescimento em comprimento dos ossos, entre os 20 e 25 anos verifica-se a total ossificação da cartilagem de crescimento, quando o individuo para de crescer, este processo é executado pelas células formadoras de osso, os osteoblastos, e células destruidoras, os osteoclastos, em condições normais, deve existir um equilíbrio total entre os processos de formação e de destruição óssea.

OSSOS CONSTITUIÇÃO EXTERNA E INTERNA
Em função da forma, os ossos podem se classificar-se em: longos, largos ou planos e curtos.
·        OSSOS LONGOS
Verifica-se o predomínio do comprimento, existe uma parte mediana comprida, a diáfise ou corpo ósseo, e duas extremidades, as epífises. É o que acontece, por exemplo, com o fêmur e o úmero. A parte externa da epífise é formada por uma camada fina de osso compacto, e a parte interna por substancia esponjosa. A diáfise encerra uma cavidade no seu interior, a cavidade medular rodeada de tecido compacto.
·        OSSOS PLANOS OU LARGOS
Verifica-se o predomínio do comprimento e da largura, distingue-se uma zona interior ou diploe e duas tabuas, externa  e interna, exemplo , os ossos do pariental e frontal do crânio.
·        OSSOS CURTOS
Verifica-se que as três dimensões são praticamente iguais, o que lhes confere grande resistência, ainda que geralmente possuam pouca mobilidade, por exemplo é o caso dos  ossos do punho.
CONSTITUIÇÃO INTERNA DOS OSSOS
PERIÓSTEO
É a camada mais externa, muito vascularizada, que permite a nutrição dos ossos, cobre toda a superfície dos ossos, exceto as zonas articulares.
SUBSTÂNCIA ÓSSEA
A primeira vista, observando a parte interna de um osso, podem distinguir-se duas classes ósseas;
1.     OSSO ESPONJOSO
É formado por uma rede tridimensional de espiculas ou trabéculas ósseas, que delimitam um labirinto de espaços intercomunicantes, ocupados pela medula óssea.

2.     OSSO COMPACTO
É uma massa solida na qual os espaços só são visíveis ao microscópio.
MEDULA ÓSSEA
É uma estrutura mole que preenche as pequenas cavidades de tecido esponjoso e que nos ossos longos está contida numa cavidade central, que por isso se chama cavidade medular, podemos distinguir a medula óssea vermelha, ativa e encarregada de fabricar as células sanguíneas (glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas) e a amarela, inativa e formada quase exclusivamente por gordura.    

OSSOS DO CRÂNIO E DA FACE
A cabeça se divide em duas partes:
·        POSTERIOR ou CRÂNIO, que tem a forma de caixa óssea e contém o encéfalo.
·        ANTERIOR ou FACE, destinada a alojar a maioria dos órgãos dos  sentidos e a sustenta os da mastigação.  
·        OSSOS DO CRÂNIO
O crânio é constituído por oito ossos, quatro pares, os dois parietais e os dois temporais e quatro impares, frontal, etmoide, esfenoide e o occipital.
·        OSSOS DA FACE
Divide-se em duas partes chamadas de norma facial e mandíbula, os ossos que constituem a norma facial são em torno de 13 e possuem localização em ambos os lados.
COLUNA VERTEBRAL
 A coluna vertebral divide-se em quatro partes, que são, de cima para baixo, a região cervical, a região lombar e a região pélvica. É constituído fundamentalmente por estruturas ósseas sobrepostas de maneira regular, as vertebras, em numero de 33 ou 34. A sua distribuição é a seguinte:
07 cervicais
12 dorsais
05 lombares
09 ou 10 pélvicas.
Vista de perfil, a coluna apresenta uma serie e curvaturas, as de concavidade posterior chamam-se lordose e as de convexidade posterior, cifose. A parte superior da colu8na articula-se com o crânio por meio do osso occipital, as vertebras apresentam um orifício mediano, e no seu conjunto delimitam o canal vertebral, no qual esta alojada a medula espinhal e que se comunica com a base do crânio.
AS VÉRTEBRAS
São ossos curtos, com tecido esponjoso no seu interior, sua forma varia segundo a parte da coluna qual pertencem, mas apresentam uma serie de características comuns;
·       Corpo ocupa a parte anterior e tem forma cilíndrica, a presenta duas faces, uma superior e outra inferior.
·       Processo espinhoso, porção ímpar e mediana, dirigida para trás, em forma de espinha, de onde vem seu nome.
·       Processos transversos, em numero de duas, direita e esquerda, dirigem-se transversalmente para fora.
·       Processos articulares, são duas eminências destinadas a articulação das vertebras entre si, são quatro no total, duas superiores e duas inferiores.
·       Forame vertebral, o forame vertebral fica situado entre a face posterior do corpo vertebral e o processo espinhoso.
1.     VÉRTEBRAS CERVICAIS
Corresponde a zona do pescoço e são sete, são as mais finas e adotadas de maior mobilidade, a primeira vértebra cervical ou atlas é uma vértebra incompleta, pois não possui verdadeiro corpo vertebral, os outros elementos, principalmente os processos, encontra-se reduzidos.
Articula-se com a segunda vertebra cervical ou áxis, o áxis apresenta na parte superior do seu corpo uma eminência vertical, o dente, destinada a articula-se com o atlas, permitindo a rotação lateral do pescoço.
2.     VÉRTEBRAS TORÁCICAS
São doze e estão colocadas depois das cervicais, em sentido descendente, corresponde a zona do ombro e apresentam maior espessura e menor mobilidade que as vértebras cervicais, as dez primeiras vertebras dorsais articulam-se com as costelas nas facetas articulares que distinguem das outras vertebras.
3.     VÉRTEBRAS LOMBARES
São cinco situadas entre a região dorsal e o sacro, são mais grossas e dotadas de grande mobilidade, corresponde à zona da cintura apresentam processos espinhosos muito desenvolvidos e horizontais.
4.     SACRO
É formado pelas cinco primeiras vertebras sacrais, soldadas entre si, aplanadas de frente para trás e muito mais volumoso por cima que por baixo, o sacro é consideravelmente mais largo na mulher do que no homem com o fim de facilitar o parto, o canal sacral atravessa o sacro em todo seu comprimento, e a continuação do canal vertebral, restante da coluna vertebral, de cada lado partem quatro forames transversais pelos quais saem os nervos sacrais.

OSSOS DO TÓRAX
O tórax é uma cavidade com estrutura óssea e cartilagínea na qual estão alojados fundamentalmente os pulmões e o coração, tem forma de um tronco de cone de base inferior, medem 15 cm de altura á frente 27 cm atrás e 32 cm de lado.
·        Descrição do tórax
Distinguem-se as seguintes partes;
·       Face Anterior, constituída pelo esterno, pelas articulações condroesternais e condrocostais, pelas cartilagens costais e pela extremidade anterior das costelas.
·       Face Posterior, constituída pela coluna torácica e pela face externa das costelas.
·       Faces Laterais, cujas doze costelas deixam entre si onze espaços intercostais pelos quais circulam artéria, a veia e os nervos intercostais correspondentes.
·       Base, limitada pelo corpo da duodécima costela, pela ultima vertebra torácica e pelo processo xifóide do esterno, é ocupada pelo diafragma, musculo que separa as estruturas torácicas das abdominais.
FUNÇÕES DO TÓRAX
Em primeiro lugar é a estrutura cuja rigidez confere à proteção as vísceras situadas no seu interior, também é um elemento fundamental no mecanismo dos movimentos respiratórios.
Na inspiração, ou entrada de ar nos pulmões, a caixa torácica aumenta de volume, alargando-se os espaços intercostais.
Na expiração, retoma as suas dimensões iniciais, com a consequente expulsão do ar que tinha sido inspirado previamente.
COSTELAS
São ossos arqueados, dispostos em forma de arco entre a coluna vertebra e o esterno, são vinte e quatro costelas, doze de cada lado.
TIPOS DE COSTELAS
As sete primeiras tem o nome de costelas verdadeiras, por que se articulam diretamente com o esterno através das respectivas cartilagens, as cinco ultimas não se articulam diretamente com o esterno, mas a união entre si através das respectivas cartilagens, tendo o nome de costelas falsas. A décima primeira e a décima segunda, por se encontrarem livres em toda a sua extensão chamam-se de flutuantes.
DESCRIÇÃO
Em cada costela podemos distinguir duas partes, a óssea e a cartilaginosa ou cartilagem costal.
A porção óssea apresenta um corpo, uma extremidade anterior e outra posterior, tem uma configuração curvilínea irregular, cujas concavidades se dirigem para o interior do tórax.
ESTERNO
É um osso plano, formado por duas tábuas de tecido compacto entre as quais se encontra tecido esponjoso. Articula-se com as clavículas e com as sete primeiras costelas.
A sua forma é semelhante a um espada, sua porção superior ou manúbrio é mais larga, apresenta uma depressão central, a fúrcula esternal, e duas facetas articulares de ambos os lados para as clavículas. A sua porção central ou corpo apresenta uma serie de chanfraduras de alto e baixo para as costelas, a sua extremidade inferior ou ponta é constituída pelo processo xifoide.
OSSOS DO MEMBRO SUPERIOR
O membro superior torácico é formado por quatro segmentos, desde a raiz do membro ate sua extremidade livre, o ombro, o braço, o antebraço e a mão.
OSSO DO OMBRO
O ombro ou cintura escapular é considerado parte do membro superior, ainda que propriamente se encontre na zona superior do tórax, é constituído por dois ossos, a clavícula, na frente, e a escápula, atrás.
CLAVÍCULA
É um osso longo e par, situado transversalmente entre o manúbrio do esterno e a escápula, com os quais se articula.
Apresenta a configuração de S, com duas curvaturas, uma interna de concavidade superior e outra externa de concavidade anterior, como todos os ossos longos, apresenta um canal medular, que só ocupa o terço médio, sendo o resto do osso constituído por tecido esponjoso.
ESCAPULA
É um osso par, plano e muito fino, apresenta uma forma triangular, na sua face posterior, salienta-se uma eminência aplanada, a espinha da escápula, que por fora termina num processo volumoso ou acrômio. No seu ângulo anterior, truncado, apresenta uma cavidade articular de forma oval, a cavidade glenoidal, que aloja a cabeça do úmero, por cima da referida cavidade, encontra-se o processo coracóide, todas estas eminências são o local de inserção de importantes elementos musculares e ligamentos, quanto à estrutura interna e quase exclusivamente  cosntituida por tecido compacto.
PELVE ÓSSEA E OSSOS DO MEMBRO INFERIOR
O membro inferior ou pélvico divide-se em quatro segmentos que, de cima para baixo chamam-se: cíngulo do membro inferior, coxa ou região femural, perna e pé.
PELVE ÓSSEA
É formada pelos dois ossos ilíacos.  O sacro  e o cóccix. Representa a união entre o tronco e a extremidade inferior, no seu conjunto tem a forma de um tronco de cone de base superior.
OSSO DO QUADRIL
No adulto, é constituído por três peças ósseas isoladas entre si, o ílio,  em cima, o púbis, adiante, e o esquio, embaixo. Pela sua face externa delimitam uma grande cavidade, a cavidade do acetábulo destinada a articular se com a cabeça do fêmur, por cima encontra-se uma ampla superfície, a fossa ilíaca externa, por baixo da cavidade cotilóidea se abre o buraco obturador, delimitado pelos ramos do ísquio e púbis unidos entre si. O bordo superior do osso ilíaco, que tem a forma de um S chamam-se de crista ilíaca,  e as eminencias bordo anterior, espinhas ilíacas.
DIFERENÇAS  DE PELVE ÓSSEA ENTRE MULHRES E HOMENS
A bacia do homem é mais espessa e mais alta que a da mulher, com as eminencias ósseas mais pronunciadas. A bacia feminina é mais larga e esta mais inclinada, por que no momento do parto o feto passa através dela.
OSSOS DA COXA
FÊMUR
É um osso longo, o mais comprido do corpo humano, articula-se ao nível do quadril com o osso ilíaco e ao nível do joelho com a patela, a tíbia e a fíbula. A sua epífise superior apresenta a cabeça do fêmur, de forma esférica, o colo, que é um estrangulamento que une a cabeça com o resto do osso, e duas eminências, os trocanteres.
OSSOS DA PERNA
PATELA
Pertence mais ao joelho que a perna propriamente dita, é um osso curto, aplanado de frete para trás, esta inserida no tendão do músculo quadríceps da coxa, que une referido musculo a epífise superior da tíbia.
TÍBIA
É um osso longo, situado na parte interna e anterior da perna, articula-se em cima com o fêmur, embaixo com o tálus e lateralmente com a fíbula. Sua epífise superior apresenta dois côndilos, destinados  aos côndilos  do fêmur, e uma eminencia entre elas, a eminência intercondilar. A diáfise, de tecido compacto, apresenta um bordo cortante dominado tuberosidade da tíbia.
FIBULA
Também é um osso longo, situado na parte posterior e externa da perna, é mais fino que a tíbia, a sai extremidade superior ou cabeça, apresenta uma faceta côncava destinada à tíbia, na sua face interna, e por fora o tubérculo do músculo fibular longo, a sua diáfise une-se com a diáfise da tíbia através da membrana Inter óssea.

OSTEOROPOROSE se caracteriza pela perda progressiva de cálcio do osso, onde o osso fica menos denso, o que aumenta a chance de ocorrerem fraturas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário